1 Álbum 100 Palavras #43: Zap Mama – Adventures in Afropea I (1993)

1 Álbum 100 Palavras #43: Zap Mama – Adventures in Afropea I (1993)

Um podcast de Francesco Valente: 

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

“Zap Mama residente em Bruxelas, é composto exclusivamente por vozes femininas. Inspira-se à tradição africana, em particular, às tradições vocais de Zaire, Rwanda, Tanzania, e mistura estes elementos com influências cubanas, sirianas e melodias ibéricas. A líder do quinteto é a vocalista Marie Daulne. Este é o álbum de estreia, que amostra sofisticadas composições, ricas de contrapontos e seções rítmicas energicas. As cinco cantoras demostram todo o seu potencial vocal em temas como “Brrrrlak”, “Abadou”, “Bottom”, “Plekete” e cantam a raiva contra o apartheid em “Guzophela”. Este álbum precede o “Sabsylma” que consagrou o grupo a nível mundial. Boa escuta!”

Prazeres Interrompidos #264: Dale Peterson – Jane Goodall: The Woman Who Redefined Man (2006)

Prazeres Interrompidos #264: Dale Peterson – Jane Goodall: The Woman Who Redefined Man (2006)

When Louis Leakey first heard about Jane Goodall’s discovery that chimps fashion and use tools, he sent her a telegram: “Now we must redefine tool, redefine man, or accept chimpanzees as human.”

But when Goodall first presented her discoveries at a scientific conference, she was ridiculed by the powerful chairman, who warned one of his distinguished colleagues not to be misled by her “glamour.” She was too young, too blond, too pretty to be a serious scientist, and worse yet, she still had virtually no formal scientific training. She had been a secretarial school graduate whom Leakey had sent out to study chimps only when he couldn’t find anyone better qualified to take the job. And he couldn’t tell her what to do once she was in the field— nobody could—because no one before had made such an intensive and long-term study of wild apes.

Dale Peterson shows clearly and convincingly how truly remarkable Goodall’s accomplishments were and how unlikely it is that anyone else could have duplicated them. Peterson details not only how Jane Goodall revolutionized the study of primates, our closest relatives, but how she helped set radically new standards and a new intellectual style in the study of animal behavior. And he reveals the very private quest that led to another sharp turn in her life, from scientist to activist.

Capão – Blackjack (2024) (single)

Capão – Blackjack (2024) (single)

Capão é natural de Comenda, no concelho de Gavião, distrito de Portalegre. Desde muito cedo descobriu o seu gosto e talento pela música, sobretudo pelo trap. Tudo começou numa noite em que os amigos decidiu fazer uma batalha de rimas, tendo-se apercebido como o próprio conta, “que tinha jeito para rimar”. Impulsionado por esta descoberta, procura saber mais e começa a ouvir Teto, raper brasileiro que o influencia musicalmente e o leva a apaixonar-se pelo trap.

Decidido que queria fazer música a sua vida, dedica bastante do seu tempo a rimar e a aperfeiçoar-se enquanto raper e artista, trabalho que culmina com o lançamento da sua primeira música, intitulada “Lágrimas”, em janeiro de 2023.

Estava dado o primeiro passo de um percurso ainda jovem, mas cheio de talento. Apostando toda a sua dedicação e esforço para tornar a sua música cada

 vez melhor, seguiu-se o lançamento do tema “Vida Controversa” e, logo de seguida, foi apresentado “Sopro”. Em agosto foi o momento de mais um lançamento, novo tema de Capão, desta vez, com maior impacto do que os temas anteriores. O single “Série” atingiu as 7 mil streamings no Spotify, tornando-se no seu tema de maior sucesso. Capão fechou o ano com o lançamento do seu primeiro EP, intitulado “Dupla Personalidade”, num trabalho íntimo e muito pessoal. Já em 2024, o artista lança “Bruxo” e “Blackjack”, dois novos singles com um conceito repartido, mas ligados entre si através de uma mensagem.

O rapaz que queria ser ciclista, deixou esse sonho pela música, na procura pela perfeição naquilo que mais gosta de fazer, rimar.

BLACKJACK

Este single não se trata de um só tema, pois é a continuidade do single anterior “Bruxo”, um conceito repartido em duas partes, ligados entre si, através de uma mensagem. “Blackjack” é a segunda música de duas que o artista lança neste mês de abril, partes diferentes de uma mesma história, início e fim de uma mensagem. Dois temas interligados entre si, que se complementam.

“Blackjack” é o segundo single deste ano de 2024, um tema que fala do seu irmão mais velho, “Bruxo”, o primeiro tema a ser lançado. Com um refrão forte, “Blackjack”, em contraste com o seu irmão, é um tema mais completo e com maior carga energética, numa ligação onde ambos se completam. Dois temas irmãos, que compartilham entre si a sonoridade e a energia. O single “Blackjack” foi lançado no dia 19 de abril e está disponível nas principais plataformas digitais.

Moondog – Elpmas (1991)

Moondog – Elpmas (1991)

Memória de Elefante 26/05/24

Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

Jazz Tracks de Danilo Di Termini #182

Jazz Tracks de Danilo Di Termini #182

Descrição do podcast:

Cada Domingo a partir das 9 horas, uma hora de jazz com Danilo Di Termini. Duke Ellington disse uma vez que estava se tornando sempre mais difícil estabelecer onde começava ou acabava o jazz, onde começava Tin Pan Alley e acabava o jazz, ou até onde residia a fronteira entre a música clássica e o jazz. Não será certamente o Jazztracks a traçar estas linhas de fronteira.

Tracklist:

Jim Snidero → Love For Sale

Bob Mover & Walter Davis jr.→ Star Eyes

Charles McPherson → Blues for Lonnie in Three

Benny Carter → Malibu 

Lee Konitz → Invitation

Gerry Mulligan → Night Watch

Stan Kenton & Bill Holman → Invention for Guitar and Trumpet

Bill Holman → Bye Ya

Lizz Wright → I Concentrate on You 

Catman Plays The Blues #123

Catman Plays The Blues #123

Apresentamos esta semana  um olhar pormenorizado sobre o BB Blues Fest e o Festival Interncional de Blues de Faro dois festivais que estão aí á porta, e escutamos alguns temas de obras dos músicos participantes.

José Mário Branco – Mudam-se Os Tempos, Mudam-se As Vontades (1974)

José Mário Branco – Mudam-se Os Tempos, Mudam-se As Vontades (1974)

Memória de Elefante 25/05/24

Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

E.Se – Galope (2024) (single)

E.Se – Galope (2024) (single)

“Hubris” é o terceiro longa duração de E.se. Sendo verdade que o nome do disco significa arrogância, este é acima de tudo um símbolo de autoconhecimento. Num álbum mais “escuro” que o seu antecessor, Mangrove (2022), em Hubris é clara a maturidade criativa de E.se, cada vez mais confortável na sua fragilidade, abordando temas como a saúde mental, separações relacionais, solidão e crescimento.

Nos singles de antecipação – “Gravito” e o tema homónimo ao disco -, o músico e rapper almadense já revelava o que é consolidado no álbum: E.se dá liberdade às suas emoções e obsessões para fluírem pelas paisagens sonoras que lhes dão o contexto adequado. Uma viagem mental que o leva às ambiências pop, ao jazz contemporâneo, ao r&b ou à música electrónica. O resultado desta mescla adere na perfeição a um álbum hip hop atrevido e característico, composto por 15 faixas onde E.se, além da sua escrita e interpretação, intervém também como produtor pela primeira vez.

A produção ficou a cargo de nomes como Lunn, Minus & MrDolly, E.se, NED FLANGER e Mei Rose, conta com colaborações vocais de xtinto, L-ALI, Mei Rose, Minus & MrDolly e Matheus Paraízo e mistura e masterização por Beiro (excepto na faixa ângulo morto por Pedro Borges). O álbum é editado pela Produções Hipotéticas.

O disco irá ser apresentado ao vivo no Porto no Maus Hábitos a 14 de Junho e em Lisboa no Musicbox a 15 de Junho. Nessas datas marcarão presença vários dos convidados que podem ouvir em Hubris.

DJ SHALABY – Music Instead of Weapon #14

DJ SHALABY – Music Instead of Weapon #14

Artist: Diverse 2020-24

Title: MIXTAPE 14 Dj Shalaby

Year Of Release: 2024

Genre: Arabic Modern Beats, Female and Male Hiphop

Quality: 24-bit/41kHz WAV, Mp3

Total Time: 00:41:32

Tracklist

1.The Divorce – Kozbara 

2.Mekhasmak – Nawal

3.Darba Qadeia -Moha K Distinkt

4.Nayda – Flipperachi Ft. Alaa Al Hendi 

5.Sawwah – Muhab

6.Seventy One – Muhab and Rap Shar3

7.966-Jara

8.Back to you again -Omar Al-Armouti 

9.Work of Art -Dafenci feat. Mshakil

10.Calma – Dareen, Rashed Muzik

11.Online – MarSimba feat. Salvo Riggi

12.Ya Ghazal – Dina El Wedidi

13.Mesytara – Lamis Kan

14.Jalapeno – Dareen X Rashed

15.The fire burned – Essam Satti feat. Ali Naseraldeen

16.Fish Masari – Lina Makoul

17.Cairokee – Telk Qadeya that’s an issue

Intro Poem:

I will sail with a ship with its sails loaded with faith, and I will find peace, and if it does not come, I will bring it, and with it, security, stability and warmth.

SOUNDCLOUD

Prince Buster: Judge Dread Featuring Prince Buster – Jamaica’s Pride (1967)

Prince Buster: Judge Dread Featuring Prince Buster – Jamaica’s Pride (1967)

Memória de Elefante 24/05/24

Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

Virgem Suta – Dois Dias (2024) (single)

Virgem Suta – Dois Dias (2024) (single)

“Dois Dias” é o nome do novo single dos Virgem Suta e marca o regresso da banda às edições, antecipando o universo daquele que será o quarto álbum de originais da dupla formada por Jorge Benvinda e Nuno Figueiredo que assinala 15 anos de carreira.

Habituados a transformar histórias em canções, os Virgem Suta mantêm a perspicácia e ironia a que habituaram os seus ouvintes, retratando em “Dois Dias” o tema da rotina frenética da sociedade atual e a generalizada procura de ideais de felicidade tantas vezes distorcidos.

Com produção de JP Coimbra, o single aponta para novos caminhos estéticos, abrindo o apetite para o álbum que se avizinha.

“Dois Dias” estará disponível em todas as plataformas digitais a partir de 3 de maio.

Com lançamento de novo disco previsto para outubro, o quarto álbum da banda de Jorge Benvinda e Nuno Figueiredo tem já definidas as datas de apresentação em Lisboa e Porto. Na capital a banda subirá ao palco do Teatro Maria Matos no dia 12 de novembro e na invicta, ao da Casa da Música, dia 21 de novembro.

No ano em que celebram 15 anos de carreira, os Virgem Suta propõem uma viagem sonora com passagem obrigatória por novos temas, clássicos incontornáveis e temas já editados, nunca antes apresentados em concerto.

Ao vivo, além de Jorge Benvinda na voz e guitarra e Nuno Figueiredo nas guitarras e coros, a banda contará com Bruno Vasconcelos nas guitarras, programações e coros, Hélder Morais no baixo, sintetizador e coros e Jorge Costa na bateria, percussões e programações.

Sobre os Virgem Suta

Os Virgem Suta surgiram em 2009 com um álbum homónimo e desde essa data lançaram Doce Lar em 2012 e Limbo em 2015, todos com o selo da Universal Music. Em 2010 foram nomeados para os Prémios Globos de Ouro na categoria Melhor Banda e em 2013 na categoria Melhor Álbum.

Ao longo dos quatorze anos de existência nunca deixaram de atuar ao vivo, tendo no currículo centenas de concertos um pouco por todo o país, inclusive em alguns dos maiores festivais nacionais (Meo Sudoeste, Meo Marés Vivas, Festival F, Festival Med, Festival Músicas do Mundo de Sines, Festival Sem Soldos, entre outros). Internacionalmente já atuaram no Brasil, Canadá, Macau, Timor, Bélgica, Hungria, Espanha e mais recentemente no Chile, num dos maiores festivais de música do mundo, o Womad.

Exemplo de consistência artística, Nuno Figueiredo e Jorge Benvinda são autores de algumas das canções mais irresistíveis da música portuguesa. As suas composições ganham uma intensidade que varia entre a energia contagiante de uma festa e a tranquilidade comovente, criando na audiência a sensação de estar em casa. Se temas como “Regra Geral” e “Linhas Cruzadas”, que continuam a integrar playlists das rádios nacionais, são obrigatórios ao vivo, a verdadeira festa surge nos primeiros acordes de “Dança de Balcão”, “Tomo Conta Desta Tua Casa” ou “Vovó Joaquina”.

Em 2024 a banda comemora o décimo quinto aniversário com novo álbum e nova digressão.

Robert Moog: Tangerine Dream – Phaedra (1974)

Robert Moog: Tangerine Dream – Phaedra (1974)

Memória de Elefante 23/05/24

Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.