1 Álbum 100 Palavras #40: Pink Floyd – Ummagumma (1969)

1 Álbum 100 Palavras #40: Pink Floyd – Ummagumma (1969)

Um podcast de Francesco Valente: 

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

“Ummagumma” é provavelmente uma das obras-primas dos Pink Floyd. Este álbum publicado em 1969, insere-se num conjunto de obras do período em que o rock e seus interpretes mais famosos atingiram altíssimos níveis de criatividade e genialidade. O álbum quando saiu foi acolhido friamente pelo publico, por causa do seu caráter abstrato e de pesquisa. Ao longo dos anos, todavia, o disco atingiu o sucesso e se tornou uma obra-prima do rock. Ummagumma é dividido em duas partes, uma gravada ao vivo e outra em estúdio, é repleto de ideias originais e soluções sonoras inéditas para aquela época. Boa escuta!”

1 Álbum 100 Palavras #35: Captain Beefheart and The Magic Band – Trout Mask Replica (1969)

1 Álbum 100 Palavras #35: Captain Beefheart and The Magic Band – Trout Mask Replica (1969)

Um podcast de Francesco Valente: 

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

“Don Van Vliet, conhecido como Captain Beefheart é pintor, poeta, cantor, escritor e performer. Trata-se de uma figura entre as mais singulares e características do rock. Além das suas colaborações tem uma produção solista que merece destaque. A sua voz poderosa lembra a de outros cantores importantes do universo do blues, mas o contexto em que aplica o seu timbre é totalmente original e pessoal. O ambiente elétrico, distorcido e anticonvencional suporta os seus jogos verbais e seus delírios vocais. Este álbum de 1969, produzido e gravado na casa de Frank Zappa é a obra-prima deste artista peculiar. Boa escuta!”

1 Álbum 100 Palavras #33: L.Shankar – Touch me there (1979)

1 Álbum 100 Palavras #33: L.Shankar – Touch me there (1979)

Um podcast de Francesco Valente:

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

“O violinista Shankar colaborou com vários músicos de rock, entre os quais Peter Gabriel, Stewart Copeland, Bill Laswell, Steve Vai e Frank Zappa. Neste álbum produzido pela casa discográfica de Zappa, Shankar amostra todo o seu virtuosismo num violino de duplo braço. A sua tentativa é de misturar a música tradicional indiana com outras linguagens musicais. Trata-se de um álbum rico de momentos estilísticos diferentes, momentos excepcionais de música instrumental e canções demenciais. Deste singular instrumento, Shankar cria extraordinárias improvisações que conseguem juntar melodias instrumentais indianas e ocidentais. Zappa aparece como vocalista no tema Dead Girls of London. Boa escuta!”

1 Álbum 100 Palavras #31: Santana – “Santana” (1969)

1 Álbum 100 Palavras #31: Santana – “Santana” (1969)

Um podcast de Francesco Valente: 

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

No dia em que os Santana subiram ao palco de Woodstock, eram perfeitos desconhecidos, nem tinham gravado um álbum ou assinado um contrato discográfico. O concerto atribuiu popularidade a esta jovem banda e temas como “Soul Sacrifice” conquistaram a plateia deste grande festival. Em poucos dias são contratados pela Columbia e logo a seguir lançam o primeiro álbum “Santana”, que num ano só vendeu 2 milhões de copias. O leader é Carlos Santana, um jovem mexicano imigrado na California. É acompanhado por Greg Rolie (teclados), Michael Shrieve (bateria), David Brown (baixo), Mike Carabello (congas) e José Areas (timbales). Boa escuta! 

Janis Joplin – I Got Dem Ol’ Kozmic Blues Again Mama! (1969)

Janis Joplin – I Got Dem Ol’ Kozmic Blues Again Mama! (1969)

Memória de Elefante 19/01/24

Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

Janis Joplin foi uma icônica cantora e compositora norte-americana, nascida em 1943 e falecida em 1970. Foi uma das vozes mais marcantes e influentes da cena musical dos anos 60 e uma das pioneiras do rock. Começou sua carreira musical em bandas locais e ganhou reconhecimento como vocalista da banda Big Brother and the Holding Company. Seu álbum com a banda, “Cheap Thrills”, lançado em 1968, foi um grande sucesso, destacando sua interpretação apaixonada e intensa.

Janis Joplin também teve uma bem-sucedida carreira solo, lançando álbuns aclamados pela crítica, como “Pearl”, que incluía seu famoso single “Me and Bobby McGee”. Sua voz singular e autenticidade cativaram uma base de fãs apaixonados e influenciaram várias gerações de músicos.

Infelizmente, sua vida foi tragicamente interrompida por sua morte prematura aos 27 anos, devido a uma overdose acidental de drogas em 1970. 

Hoje celebrámos o seu aniversário com a escuta do álbum Janis Joplin – I Got Dem Ol’ Kozmic Blues Again Mama! (1969) às 17h, na hora da Memória de Elefante! Boa escuta!

1 Álbum 100 Palavras #22: Crosby, Stills & Nash – Crosby, Stills & Nash (1969)

1 Álbum 100 Palavras #22: Crosby, Stills & Nash – Crosby, Stills & Nash (1969)

Um podcast de Francesco Valente:

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

Crosby, Stills & Nash é um dos grupos californiano mais célebres de todos os tempos. Os tres músicos vinham de outras experiências musicais, como os Byrds, Buffalo Springfield e os Hollies. Juntaram-se com o desejo de experimentar em plena liberdade. Contratados pela Atlantic, em pouco tempo gravam o primeiro álbum de estreia em 1969. Trata-se de uma obra em que prevalece o virtuosismo instrumental e as harmonias vocais com referências orientais e mexicanas e uma atmosfera acústica bem temperada. Destaco a Suite: Judy Blue Eyes (de Stills), Marrakesh Express (de Nash) e Wooden Ships (de Crosby e Stills). Boa escuta!

Art Neville: The Meters – The Meters (1969)

Art Neville: The Meters – The Meters (1969)

Art Neville, nascido em 1937 e falecido em 2019, foi um renomado tecladista e cantor norte-americano, reconhecido pela sua contribuição significativa para o desenvolvimento da música funk e da cena musical de Nova Orleans. Trata-se de uma figura central na formação de várias bandas influentes, incluindo The Meters e The Neville Brothers. Numa carreira musical que se estendeu por décadas, Art Neville ajudou a criar o som característico de Nova Orleans, mesclando elementos de funk, R&B e soul. Ao longo de sua vida, Neville recebeu inúmeros prêmios e reconhecimentos por seu trabalho, deixando um legado duradouro na música norte-americana e especialmente na rica tradição musical de Nova Orleans.

Hoje celebrámos o seu aniversário com a escuta do álbum The Meters – The Meters (1969) às 17h, na hora da Memória de Elefante! Boa escuta!

1 Álbum 100 Palavras #19: Led Zeppelin – Led Zeppelin (1969)

1 Álbum 100 Palavras #19: Led Zeppelin – Led Zeppelin (1969)

Um podcast de Francesco Valente:

1 álbum “sem” ou “100” palavras, por semana! Uma pérola musical da história da música, descrita em 100 palavras! Cada dia da semana, às 14h na Rádio Olisipo. Boa escuta!

“A banda Led Zeppelin foi fundada em 1968 por Jimmy Page (guitarra), Robert Plant (voz e harmónica), John Bonham (bateria) e John Paul Jones (baixo e orgão). O grupo obtém um sucesso instantâneo com a publicação do primeiro álbum e com os primeiros concertos. A música inspira-se no blues, na balada acústica e no hard rock. Em pouco tempo a dupla Bonham-Jones torna-se uma das secções rítmicas mais populares do mundo. Jimmy Page dispensa apresentações, pois já vinha da experiência com os Yardbirds e Robert Plant torna-se uma figura irónica do rock de todos os tempos. Boa escuta!”

Leo Lyons: Ten Years After – Ssssh. (1969)

Leo Lyons: Ten Years After – Ssssh. (1969)

Memória de Elefante 30/11/23
Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

Leo Lyons, nascido em 30 de novembro de 1943, é um renomado baixista britânico conhecido por ser membro fundador e baixista da lendária banda de rock Ten Years After. Lyons foi uma peça fundamental na formação do som distintivo da banda, contribuindo com seu talento no baixo e também como compositor. Sua habilidade musical e presença de palco ajudaram a solidificar o sucesso do Ten Years After, especialmente durante o auge da banda nas décadas de 1960 e 1970, quando alcançaram grande reconhecimento por hits como “I’m Going Home”. Após sua saída da banda, Lyons continuou a se envolver na música, seja como produtor ou em projetos à solo, mantendo seu legado como um dos baixistas mais influentes do rock daquela era.

Hoje celebrámos o seu aniversário com a escuta do álbum Ten Years After – Ssssh. (1969) às 17h, na hora da Memória de Elefante! Boa escuta!

Nick Drake – Five Leaves Left (1969)

Nick Drake – Five Leaves Left (1969)

Memória de Elefante 25/11/23
Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

Nicholas Rodney Drake (19 de junho de 1948 – 25 de novembro de 1974) foi um cantor e compositor inglês. Ele não obteve um grande público durante sua vida, mas seu trabalho gradualmente alcançou maior atenção e reconhecimento após sua morte.

Drake assinou contrato com a Island Records quando era um estudante de 20 anos na Universidade de Cambridge. Lançou seu álbum de estreia, Five Leaves Left, em 1969. Drake gravou a seguir mais dois álbuns, Bryter Layter (1971) e Pink Moon (1972), que venderam mal. A relutância de Drake em ser entrevistado ou se apresentar ao vivo contribuiu para sua falta de sucesso.

Nick Drake no dia 25/11 de 1974 morre após uma overdose do antidepressivo Tryptasol. Com apenas 26 anos.

Hoje celebrámos o seu aniversário com a escuta do seu primeiro álbum Five Leaves Left (1969) às 17h, na hora da Memória de Elefante! Boa escuta!