Prazeres Interrompidos #271: Andrea Cavalletti – Vertigem: A Tentação da Identidade (2024)

Prazeres Interrompidos #271: Andrea Cavalletti – Vertigem: A Tentação da Identidade (2024)

Autor:

Octávio Nuno

Podcast sobre livros. Um livro num minuto! Em todas as tuas redes sociais, plataformas de podcasts, mas também nas rádios e jornais. Boas leituras!

Vertigem, o terror das alturas, que na verdade é o medo de ceder à tentação de se deixar cair. Antes de Freud, as chamadas «ciências da alma», incluindo a emergente psiquiatria, reservavam às tonturas um lugar de destaque no quadro das patologias mentais, considerando-as o elemento desestabilizador e intoxicante — simultaneamente repulsivo e atraente — sem o qual a própria consciência não era concebível. Na filosofia, se para Montaigne e Pascal a vertigem podia parecer ainda um distúrbio da razão causado pela imaginação, mais tarde o pensamento deixa de a assimilar como uma instabilidade imaginativa ocasional a ser superada, para a reconhecer como parte do seu próprio processo: a identidade manifesta-se insegura, cinética, opaca, vertiginosa, precisamente. Andrea Cavalletti aproxima as suas análises teóricas da representação cinematográfica da queda no vazio de um famoso filme de Hitchcock, «Vertigo». A combinação genial, nunca antes tentada, de dolly e zoom, para criar o efeito de queda, descreve o movimento duplo de «empurrar e reter», que é a condição habitual do sujeito e da intersubjectividade. Para me encontrar, devo olhar para mim do fundo do abismo, com os olhos dos outros.

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #7 – La Tremenda Sonora (entrevista 28/05/24)

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #7 – La Tremenda Sonora – Edoardo Pasta e Daniele Pistone (entrevista 28/05/24)

Edoardo Pasta e Daniele Pistone apresentam na Radio Olisipo o projeto La Tremenda Sonora, que vai se apresentar no “Ainda Há Arraial Na Mouraria” de 2024, no dia 07/06/24 às 19h.

Whenever you feel your tropical soul awakening…when you feel you can’t hold your body back another second and just need to dance…whenever you feel all those Latin American rhythms inspiring your most ancestral movements…

That’s what we call ‘SALSA’!

Created from a passionate mix of various exotic pulses, Salsa is flavour and spice! Salsa is Latin soul! Salsa is pure rhythm!.

Representing this melting pot here in Lisbon is a group of tremendous musicians who bring Salsa in their souls and in their veins wherever they go. Arguably the most diverse group of musicians in Portuguese territory, these Salsa aficionados are here to share the priceless feeling of Salsa music with a local and international crowd.

La Tremenda Sonora! is a band whose identity spawns from its own musicians, who originate from many different corners of our globe, including Argentina, Colombia, Dominican Republic, France, Italy, Spain, United States and, of course, Portugal.

Come and dance Salsa with La Tremenda Sonora!

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #5 – Tropicáustica – Riça (entrevista 28/05/24)

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #5 – Tropicáustica – Riça (entrevista 28/05/24)

Tropicáustica – Arraial Renovar A Mouraria 2024 #3

Entrevista com Riça (Ricardo) 28/05/24

Autor: Francesco Valente

Riça apresenta na Radio Olisipo o Coletivo de Dj’s Tropicáusitca, que vai se apresentar no Arraial da Mouraria no dia 1 de Junho de 2024, no largo da Rosa, a partir das 20h.

A festa e a política. Duas coisas compatíveis, como tudo pode ser na vida. Dançar com consciência na mudança que queremos é dançar conscientes de que estamos a mudar.
Numa viagem que rompe barreiras e estilos, a música reflete o mundo sem barreiras com que sonhamos, sem discriminações, fobias. Falar de funaná, é falar de luta, dançar cumbia é lembrar as origens congoloesas trazidas na música por pessoas escravizadas. Não é World Music, é música num mundo à procura de justiça e igualdade.

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #4 – Spencer Zachary (entrevista 21/05/24)

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #4 – Spencer Zachary (entrevista 21/05/24)

Spencer Zachary apresenta na Radio Olisipo o seu álbum “Open Water”, que vai apresentar no do Arraial Renovar a Mouraria de 2024, no dia 01/06/24.

Autor:

Francesco Valente

O rapper/cantor/compositor Spencer Zachary, nascido em Califórnia, estabelece raízes em Lisboa antes do lançamento do seu primeiro álbum de estúdio “OPEN WATER”, a 3 de janeiro de 2024. Influenciado pelos elementos poéticos do rap, hip-hop e spoken word misturados com rock alternativo, americana, RnB e neo-soul, a sua música é verdadeiramente uma mistura única de estilos e sons como base a lírica.

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #3 – Cadê O Gilberto (entrevista 24-05-24)

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #3 – Cadê O Gilberto (entrevista 24-05-24)

“Cadê o Gilberto nasceu da vontade de nove amigos músicos se juntarem para criar um espaço de partilha musical maior e com mais estímulos. Cadê o Gilberto é um projeto pra cima, pra dançar, cantar e curtir com a banda. Cadê o Gilberto valoriza os grandes clássicos do samba e as novas influências do Brasil mais jovem. Cadê o Gilberto é purpurina, suor, carnaval e alegria.

Vem que vai ser massa

É um projeto novo então ainda não temos uma página da banda mas podem por os nossos nomes, aqui vão:

Laura Venturini, voz @lauraa.ven

Rocho, violão @rocho,7cordas

Augusto Pereira, trombone @apereiramm

Alexandre Pinheiro, sax @alexandre.tpinheiro

Manoel Cirne, cavaquinho @manoelcirne

Camilla Piccolo, backing vocals e percussões @camipiccolo

Sofia Esposito, backing vocals e percussões @sofiespos__

Michel Feliciano, pandeiro e percussões @mestremichelfeliciano

Matheus Nascimento, percussões @nascitheu”

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #2 – Coro Saber Maior da Universidade Senior da Junta de Freguesia Santa Maria Maior (entrevista com Pedro Boleo, 22-05-24)

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #2 – Coro Saber Maior da Universidade Senior da Junta de Freguesia Santa Maria Maior (entrevista com Pedro Boleo, 22-05-24)

Pedro Boleo apresenta na Radio Olisipo o Coro Saber Maior da Universidade Senior da Junta de Freguesia Santa Maria Mayor que vai se apresentar no do Arraial Renovar a Mouraria de 2024, no dia 31/05/24.

Autor:

Francesco Valente

O arraial mais esperado dos Santos Populares está aí à porta! Ainda estamos aqui e por isso ainda há arraial na Mouraria. A nossa intervenção pauta-se por acreditar que o cultural é social e por isso o nosso arraial é um momento de dinamização social e integração cultural, sendo também importante para a nossa sustentabilidade financeira.

Uma programação musical diversa, preocupação com a sustentabilidade ambiental, colaboração com outras entidades, gastronomia variada… São pilares que tornam este arraial tão especial!

De dia 30 de Maio a 15 de Junho vem ter connosco ao Largo da Rosa! Veio-nos lá?

Promovido pela Associação Renovar a Mouraria, em parceria com @mensagem.lisboa , @radiolisipo , “jfsantamariamaior , @valorsul.pt , @biataki , @eco_brasa , @gergran_delifrance

Músicas que ouviram na entrevista:

Filipe Sambado – Um Lugar na Mouraria (2023) – Do último álbum, a própria vista da janela do Filipe Sambado nesta canção. Pode ser óptima para fechar. 

Braima Galissa –  (sem nome, 2019) : não tenho o nome, porque foi gravada ao vivo. É super difícil encontrar gravações dele e então peguei nesta gravação e dei-lhe uma masterização simples mas eficaz.   

Zenilton – Bacalhau à Portuguesa (1989): Este ano, agora que é um apoiante assumido da extrema-direita, não vou obviamente passar Quim Barreiros. No entanto, é o último dos meus problemas porque nenhuma das músicas dele é original. A maioria foi escrita por este génio do forró, o Zenilton. Eu pensava que as pessoas sabiam isto, mas tenho percebido ultimamente que ninguém faz ideia que todas estas músicas super famosas não são da autoria dele. Só este tema merecia outra entrevista no âmbito de DJ, pois o Quim Barreiros nunca deu destaque aos verdadeiros artistas originais. Irónico que um apoiante da extrema-direita tenha tido os seus maiores sucessos com covers de música brasileira! Enfim, esta música pode fazer uma ponte fixe quando falamos sobre as festas e a gastronomia.

Ainda Há Arraial Na Mouraria (2024) #1 – Miguel Orama (entrevista 13-05-24)

Ainda Há Arraial Na Mouraria 2024 #1 – Miguel Orama (entrevista 13-05- 24)

Miguel Orama apresenta na Radio Olisipo a nova edição do Arraial Renovar a Mouraria de 2024.

Autor:

Francesco Valente

O arraial mais esperado dos Santos Populares está aí à porta! Ainda estamos aqui e por isso ainda há arraial na Mouraria. A nossa intervenção pauta-se por acreditar que o cultural é social e por isso o nosso arraial é um momento de dinamização social e integração cultural, sendo também importante para a nossa sustentabilidade financeira.

Uma programação musical diversa, preocupação com a sustentabilidade ambiental, colaboração com outras entidades, gastronomia variada… São pilares que tornam este arraial tão especial!

De dia 30 de Maio a 15 de Junho vem ter connosco ao Largo da Rosa! Veio-nos lá?

Promovido pela Associação Renovar a Mouraria, em parceria com @mensagem.lisboa , @radiolisipo , “jfsantamariamaior , @valorsul.pt , @biataki , @eco_brasa , @gergran_delifrance

Músicas que ouviram na entrevista:

Filipe Sambado – Um Lugar na Mouraria (2023) – Do último álbum, a própria vista da janela do Filipe Sambado nesta canção. Pode ser óptima para fechar. 

Braima Galissa –  (sem nome, 2019) : não tenho o nome, porque foi gravada ao vivo. É super difícil encontrar gravações dele e então peguei nesta gravação e dei-lhe uma masterização simples mas eficaz.   

Zenilton – Bacalhau à Portuguesa (1989): Este ano, agora que é um apoiante assumido da extrema-direita, não vou obviamente passar Quim Barreiros. No entanto, é o último dos meus problemas porque nenhuma das músicas dele é original. A maioria foi escrita por este génio do forró, o Zenilton. Eu pensava que as pessoas sabiam isto, mas tenho percebido ultimamente que ninguém faz ideia que todas estas músicas super famosas não são da autoria dele. Só este tema merecia outra entrevista no âmbito de DJ, pois o Quim Barreiros nunca deu destaque aos verdadeiros artistas originais. Irónico que um apoiante da extrema-direita tenha tido os seus maiores sucessos com covers de música brasileira! Enfim, esta música pode fazer uma ponte fixe quando falamos sobre as festas e a gastronomia. 

Festival Jazz Manouche De Almada- Gonçalo Mendonça Entrevista (15 – 05 – 2024)

Festival Jazz Manouche De Almada- Gonçalo Mendonça Entrevista (15 – 05 – 2024)

Gonçalo Mendonça apresenta na Radio Olisipo o Festival Jazz Manouche De Almada.

Autor:
Francesco valente

A terceira edição do Festival Jazz Manouche de Almada, organizado pela Alma Danada Associação Criativa, está de volta depois do sucesso das últimas edições. Este ano acontece de 17 a 19 de Maio e conta com a presença de alguns dos nomes mais emblemáticos do jazz manouche. São 3 concertos imperdíveis e um workshop de dança blues e swing, que excecionalmente este ano terá lugar no Salão de Festas da SFIA. 

O Jazz Manouche surge como expressão musical com o guitarrista cigano de etnia Manouche Django Reinhardt e do Quinteto do Hot Clube de França. Este quinteto manteve a sua actividade entre os anos 30 e 50 na Europa tendo como estética formal o Swing mas com a apropriação cigana sobre a influência de Django. Em Portugal esta história é ainda pouco contada e escrita, mas tem vindo a ser maturada ganhando mais músicos e entusiastas.

No dia 17 de Maio o público poderá assistir ao concerto de Adrien Marco Trio: Adrien Marco é atualmente um dos principais nomes do estilo Jazz Manouche. É um guitarrista autodidata que começou a tocar aos 17 anos pela influência da música de Django Reinhardt. O seu estilo é enérgico, elegante, espontâneo e muito virtuoso. Em onze anos de actividade gravou quatro discos. Adrien Marco é acompanhado por uma excelente e sólida secção rítmica, Mathieu Chatelain na guitarra ritmo e Claudius Dupont no contrabaixo. Cada vez mais aclamado por um público de conhecedores, o guitarrista actuou em locais como o Festival Django Reinhardt (Fontainbleu) Django In June (Boston), Django at Dewslake (Reino Unido), Festival Jay (Itália), Festival de Worms (Alemanha), actua no lendário Clube de Jazz Etoile em Paris, onde Thomas Dutronc é um convidado regular e também no Cabaret de L’Escale onde já passaram artistas lendários como Jacques Brel ou Edith Piaf. Assim, passados cerca de onze anos, Adrien Marco Trio vem pela primeira vez a Almada para deleite do público e dos fãs do jazz cigano em Portugal.

No dia 18 é a vez de Aurore Voilqué Trio feat. Angelo Debarre. Aurore Voilqué começou a tocar violino aos 4 anos de idade e nunca mais parou. Criou o seu primeiro quarteto em 2003. Actuou em alguns dos maiores festivais de jazz de França (Jazz à Vienne, Marciac, Vauvert, La baule, Jazz en Baie, Jazz Nimes métropole, 24h du swing), bem como em alguns dos principais clubes de jazz do país (Duc des Lombards, Sunset, Petit Journal Montparnasse, Meridien Jazz Café Montparnasse). Aurore é acompanhada pela guitarra ritmo de Mathieu Chatelain e pelo contrabaixo de Claudius Dupont, delegando solos para o incontornável Angelo Debarre, um dos maiores solistas de jazz manouche que o mundo já conheceu. Angelo Debarre dispensa apresentações. É esta a verdadeira sonoridade tradicional cigana que a violinista foi procurar ao reunir estes 3 músicos, entre os mais requisitados do género. Uma magnífica viagem ao mundo da música cigana, com standards de Django Reinhardt, canções francesas e magníficas composições do maestro Angelo Debarre.

No dia 19 de Maio haverá uma aula de dança a cargo da Escola Blues & Swing Lisboa, especializada em danças vintage. 

Ainda no mesmo dia atuam os Rouge Manouche, um quarteto de Gypsy Jazz residente no Algarve que apresenta um swing altamente enérgico e ritmado e inspirado em ritmos e melodias Manouche com influências do Jazz Americano imergindo na aura da Paris dos anos 30. Interpretam compositores como os míticos Django Reinhardt, Charles Trenet ou Cole Porter, assim como em repertório de tradição Gypsy Jazz mais moderno. É formado por Betty Martins na voz e violeta, João Campos Palma no acordeão, Luis Fialho na guitarra e Rick Steffens no contrabaixo.

Os bilhetes estão disponíveis em https://www.seetickets.com/

Reservas: festivaljazzmanouchealmada@gmail.com

17 Maio, 21h – Adrien Marco Trio

18 Maio, 21h – Aurore Voilqué Trio ft Angelo Debarre

19 Maio, 16h – Aula de dança Blues&Swing Lisboa

19 Maio, 17h – Rouge Manouche

Prazeres Interrompidos #254: Ranulph Fiennes – Lawrence Of Arabia (2024)

Prazeres Interrompidos #254: Ranulph Fiennes – Lawrence Of Arabia (2024)

Autor:

Octávio Nuno

Podcast sobre livros. Um livro num minuto! Em todas as tuas redes sociais, plataformas de podcasts, mas também nas rádios e jornais. Boas leituras!

A vivid and illuminating biography of the famed T. E. Lawrence, written by “the world’s greatest living explorer,” Ranulph Fiennes.

As a young British intelligence officer in Cairo, archaeologist and adventurer Thomas Edward Lawrence became involved in the 1916 Arab Revolt, fighting alongside rebel forces against the Ottomans. He made a legendary 300-mile journey through blistering heat; he wore Arab dress; and he strongly identified with the people in his adopted lands.

Playlist lançamentos Março 2024

A Radio Olisipo recebe diariamente solicitações de músicos que pretendem divulgar suas obras. A cada mês publicamos uma seleção em formato de playlist, com temas de álbuns, new releases e singles em destaque. Aqui apresentamos a playlist dos destaques do mês de Março 2024. Boa Escuta!

01. Pedro Khan – Ariel (2024) (single)

02. Os Senhores – Indiferente (2024) (single)

03. Alice – Poetas (2024) (single)

04. North Clear Bush – Secretly in Chains (2024) (single)

05. Margô – Agora Vai (2024) (single)

06. Yemamaya  (DJ Flavya Remix) – LUIZGA & iZem, DJ Flavya (2024) (single)

07. Rafa – Ponto. (2024) (single)

08. Jacaréu – Senhorio (2024) (single)

09. Rara- A Janela (2024) (single)

10. Terra Livre – Light Farmer (2024) (single)

11. Zé Vargas – Francisca (2024) (single)

12. Leonor Baldaque – Its the wind (2024) (single)

13. Maria Mazzotta – La Furtuna (2024) (single)

14. Isabel rato – Era um Redondo Vocabulo (2024) (single)

15. Mary Ann – Pressure (2024) (single)

16. Lana Gasparotti – Mar (2024) (single)

17. Lana Gasparotti – Something in my way (2024) (Single)

18. Paulo Praça – A vida começa agora (2024) (single)

19. Dj Blytz – Come & Move (Nanana) (2024) (single)

20. Meses Sóbrio – Acordar a Sonhar (2024) (single)

21. André Louro – Chuva (2024) (single)

22. Sebenta – Bem, Pensando Assim (2024) (single)

23. April Marmara – Finding My Ways (2024) (single)

24. Mt. Roshi – Antes de Ires (2024) (single)

25. Coastel – Nevoeiro (2024) (single) 

26. Papisa – Amor Delírio Feat. Luiza Lian (2024) (single) 

27. Evaya – O Que Acontece Agora (2024) (single)

28. Nuno Melo – Fora de Formato (2024) (single)

29. Joana Alegre – Lógica Astral (2024) (single)

30. Rogério Botter Maio – Riscos (2024) (single)

31. Suzie and the Boys – Suzie and the Boys – You Got Them There Eyes (2024) (single)

32. Carlos Cavallini – Nem Todo Mundo (2024) (single)

33. sús – Cicatiz (2024) (single)

34. A Mansão – Casa Grande (2024) (single)

35. Vasco Ribeiro & Os Clandestinos – O Homem Que Falava Demais (2024) (single)

36. Analogue Music Project – The Knight Rider (2024) (single)

37. João Coração – Miúda (2024) (single)

38. Dark Miles – When The Lights Go Out (2024) (single)

39. Pedro Lima – Talkin(g) (A)bout My Generation (2024) (single)

40. Beatriz Almeida  – Até Quando (2024) (single)

41. Yosune – Ser (2024) (single)

42. Carlos Raposo – Interstellar Caravan (2024) (single)

43. Danny Francis – Don’t Wanna Get Lost  (2024) (single)

44. Cruzamente – Bichos (censurada) (2024) (single)

45. Retimbrar – Do Mesmo Cordao (2024) (single)

46. Jau Mur – O Carmo e a Trindade (ft. Yara Mara) (2024) (single)

47. Sérgio Onze – Canto Ainda Por Alguém (2024) (single)  

Norah Jones – Visions (2024)

Norah Jones – Visions (2024)

Memória de Elefante 30/02/24
Autor: Francesco Valente

Uma rubrica que revela eventos, curiosidades, lançamentos, aniversários e fatos históricos ligados ao universo da música popular mundial.

Jacaréu – Senhorio (2024) (single)

Jacaréu – Senhorio (2024) (single)

JACARÉU APRESENTA “SENHORIO”, UMA CRÍTICA À SITUAÇÃO DA HABITAÇÃO!

Jacaréu é um artista movido pela grande necessidade de intervenção e pela abordagem de temas importantes e preocupantes para a sociedade. Nesta sua nova música, o artista apresenta uma dura crítica ao atual estado da habitação no nosso país, num verdeiro flagelo que afeta milhares de famílias. Senhorio é uma reflexão crítica sobre as dificuldades com que hoje em dia nos debatemos por uma habitação, seja na compra ou até no aluguer, seja-se jovem ou mais velho, a verdade é que se torna cada vez mais difícil ter uma casa digna ou, até mesmo, ter casa.

Numa perfeita combinação de rap, folk e poesia, como o próprio artista define, “Senhorio” pretende ser uma chamada de atenção para a grave crise no setor da habitação que o nosso país atravessa, um murro na mesa contra as atuais políticas, lobbies e dificuldades que tantos milhares de jovens e famílias enfrentam. 

Jacaréu apresenta uma letra forte e repleta de duras críticas, numa mensagem pela necessidade de mudança!

“Ter casa é um luxo que tão poucos podem.”

Jacaréu