LuizGa E Edgar Valente – AIÊ (2023) (álbum) ID

LuizGa E Edgar Valente – Exu (2023) (single)

Uma oferenda para o infinito

No dia 13 de outubro, “AIÊ”, álbum que congrega as poéticas do brasileiro LuizGa e do português Edgar Valente, sob produção musical de Guilherme Kastrup, estará disponível em todas as plataformas digitais (em novembro, disponível também em LP e CD). O lançamento, que acontece pelo selo alemão Ajabu!, expõe a rica parceria do duo, numa obra que passeia por cânticos, ‘rezos’, mandingas e temas instrumentais.

AIÊ: sua genealogia

Na mitologia Yorùbá a palavra Àiyé (ou Ayé) designa o “mundo terrestre” ou “mundo dos vivos”: um mundo onde acontecem os encontros físicos e a presença é celebrada, onde a invenção e o improviso engendram a vida e a sua mágica. Logo, é onde a música e a palavra carregam poder, e são capazes de abrir portais para o contato com o mundo espiritual, o Òrun. A reunião de LuizGa (alter ego de Luiz Gabriel Lopes) e Edgar Valente projeta-se como elogio a essa cosmogonia, iluminando delicadamente sua beleza, seus mistérios, sua complexidade e seus ensinamentos. A multiculturalidade instituída pelas diásporas luso-falantes é objeto central da pesquisa apresentada aqui – claro, reconhecendo a crueldade trágica que envolveu toda a travessia transatlântica ao fundar a modernidade ocidental. Esta obra, porém, faz a escolha de recolher os tesouros, como que pequenas conchas, as filigranas que segredam o poder transformador desses povos: a alquimia da colaboração; a superação pela festa; a costura de sons, sempre trançando novidades, algo que inventa as línguas; o feitiço do tambor e o tamborilar da voz. Aqui, Brasil e Portugal, o Atlântico e África, os territórios em transformação, tudo já não é só o seu passado. Suas ancestralidades, no entanto, são a promessa da existência do futuro. Uma oferenda para o infinito.