Radio Olisipo On air -
close

10.12.2023

Traz Os Monstros – Manifesto II (2023) (single)

Traz Os Monstros – Manifesto II (2023) (single)

Durante a primeira maratona de concertos, continuou a necessidade de evoluir, a necessidade se encontrarem como projeto e o seu objetivo. Com isso continuaram a procurar novas formas de expressão, quer liricamente quer instrumentalmente, voltarem algumas das sonoridades dos primeiros EP’s com uma nova fome de ser mais cru com a letras e com a composição instrumental, e dai surgiu a proposta de fazer o segundo álbum do projeto, novamente com a Pé em Triste.
“Diferente, mas necessário…” é o que descrevem deste segundo álbum denominado de “UNTO”, mais visceral na sonoridade, voltam ao sintetizadores dos primeiros EP’s mas desta vez com uma camada de overdrive “eletrificante”, dar um novo papel a desempenhar aos teclados neste álbum, enquanto a guitarra desempenha outras funções em contrapartida, para procurar as texturas mais “excêntricas” e outras formas de expressão. A percussão é criada de raiz, à base de samples gravados pela banda, de vários objetos, metais, vidro entre outros elementos sobre superfícies com diferentes tipos de atrito.
“UNTO” é,…será na sua coletividade é uma procura enorme de sobrevivência na nossa atualidade e até de uma certa maneira, profética aos tempos que virão.
Liberdade social e pessoal, paradoxos políticos e injustiças, a demolição da “cultura demasiado séria” e os seus falsos pretextos para aproveitamento próprio e económico, em defesa dos incompreendidos pervertidos, estes e outros temas são alvos abstratos da lírica presente do álbum.
O single “Manifesto II” é um excelente resumo dessa nova sonoridade que irá predominar no álbum, uso dos instrumentos, como a guitarra elétrica, de forma pouco convencional e tradicional para criar texturas e padrões de ruídos que remontam para influências industriais, “dance noise” e post punk”. A percussão do álbum foi samplada pela banda com objetos do quotidiano à procura de sons revigorantes e diferentes, e tem um caracter eletrónico, mecânico e “repetitivo” como a música eletrónica contudo imprevisível devido as suas camadas e variedade sonora, incentivando o “pézinho de dança” ao ouvinte enquanto a forte lírica acerta no “nervo”, provocante, pesada, abstrata e entregue a obscuridade da realidade da sociedade.

BIOGRAFIA DA BANDA
Em 2021, Traz os Monstros surgem como “filhos da quarentena”, na mesma altura do surto que passamos nesse ano, por Fábio Matos e Xavier Sousa, que com os anos de amizade e de noites de jams insensatas e irresponsáveis por Coimbra, enquanto lá estudavam, nascem os Traz os Monstros numa altura em que havia mais necessidade de expressar e talvez a melhor altura para apresentar ao mundo o que queriam e querem fazer,”(…)resultado de uma esquizofrenia coletiva, entre mais condimentos existenciais(…)”,.
Lançam ao mundo o seu primeiro trabalho, o EP “Demos para o Papá e a Mamã Vol. I”. Um ano depois sai o segundo EP “Demos para o Papá e a Mamã Vol.II”, desta vez já só
com Xavier a continuar o projeto.
Mal após o lançamento do segundo EP foram convidados a gravar o seu primeiro álbum com a Pé Em Triste (@pe.em.triste), a ser produzido, masterizado e promovido pelos mesmos. Surge então, em Novembro de 2022, o primeiro álbum “Porcelana Boa da Avó”, do qual participaram Rui Bastos nos teclados e backvocals e Saulo Oliveira no baixo.
2023 foi o ano de estreia dos Traz dos Monstros nos concertos por Portugal, vestidos de velhas a promover o seu primeiro álbum em vários palcos como, Maus Hábitos (Vila Real), Espaço Compasso (Porto), Em Direita (Viseu), Fabrica de Alternativas ( Algés), Cave Avenida (Viana do Castelo), Tokyo (Lisboa), Bota Anjos (Lisboa), etc…
Atualmente a banda é formada por três membros: Xavier de Sousa na guitarra, piano e voz, Rui Bastos nos teclados e vozes e Rafael Borges no baixo.

Comentários

Deixe seu Comentário